Mochilando Sozinha

Contei aqui como foi a minha primeira viagem sozinha. Ao final daquele um ano que passei na Itália, decidi viajar para outros países antes de voltar para casa, afinal, era começo de 2010 e ache as passagens superbaratas da Rayanair (sério, paguei sete libras de Londres para Leipzig (2 libras de passagem mais 5 de taxa)). E é sobre isso que vou escrever hoje: meu mochilão por três países em 11 dias.

Eu estava perto de Roma e decidi ir para Londres, onde encontrei uma amiga minha da faculdade, Leipzig, onde morava uma amiga minha que conheci na Itália, e Madrid, porque eu queria muito conhecer a Espanha; na verdade, eu queria ir para Barcelona (aliás, ainda está na listinha), mas tinha uma amiga de Madrid, ou seja, estadia de graça, então, fui para a capital espanhola mesmo. Então, meu itinerário foi: Roma – Londres – Frankfurt – Leipzig – Madrid – Roma.

Naquela época, eu não tinha um smatphone e levei um celular para usar em caso de emergência, mas acho que não usei nenhuma vez. Eu era bem inexperiente e jovem e sem-noção de muitas coisas básicas. Era inverno e tive de levar uma mochila de 10kg (deu tudo certo. Em alguns voos tive de vestir quatro blusas, mas minha mochila respeitou peso e medidas). Sim, foi uma aventura.

Saí de Roma e cheguei em Londres. Na imigração londrina, eles são bem chatos e me fizeram algumas perguntas do tipo:
“O que você veio fazer aqui?”
“Turismo.”
“Onde você vai ficar?”
“Na casa de uma amiga.”
“Onde você conheceu a sua amiga?”
“Na Itália.”
“Há quanto tempo você a conhece?”
“Uns meses.”
E me deixaram entrar, ainda bem.

O aeroporto era longe da cidade e peguei um ônibus para chegar ao centro de Londres. Lá uma menina que ia me hospedar foi me encontrar e fomos para casa. Em Londres, foi tudo bem, comi fish and chips, fiz passeios e não bebi cerveja (ainda não tinha descoberto as artesanais e Londres teria sido um bom lugar para isso, mas eu não sabia dessa informação). Encontrei minha amiga e fiz outros amigos. Não vou contar muitos detalhes senão este post vai ficar gigantesco.

Porém, quero contar sobre a aventura de ir embora. Esses voos baratinhos da Ryanair saem umas 6h ou 7h da manhã e o aeroporto de Londres fica longe. Logo, peguei o último ônibus, talvez meia-noite, não lembro bem, e dormi no aeroporto. Até aí, tudo bem, apesar de ter molhado a bota (o que foi péssimo no fim da viagem). Fiquei lá de boa e decidi ir para o portão. No meu bilhete, tinha um número x que achei que era o portão, então fui até lá, peguei o trem interno e cheguei no portão e não tinha ninguém. Na verdade, não tinha ninguém naquele terminal inteiro e fiquei desesperada. Daí, apareceu uma mulher que estava limpando o aeroporto e fui falar com ela. Ela disse que eu estava no lugar errado, mas que não dava para voltar, então, me mostrou um telefone e falou para eu conversar com alguém do aeroporto. Fui lá e expliquei o que tinha acontecido. Daí, a pessoa me mandou ir para o portão x que alguém ia me buscar. Fiquei lá esperando e apareceu um carinha no portão que me levou pra pista de pouso e decolagem onde tinha um daqueles carrinhos de aeroporto, e me levou para o meu portão. Tudo certo 🙂

Daí, cheguei em Frankfurt e peguei o trem para Leipzig. Vi neve pela primeira vez. Peguei um sol bem bonito e a temperatura de 0°C. Também não vou contar detalhes, mas tenho mais um perrengue. Na volta, o horário do trem não coincidia com o do voo, então, voltei na tarde anterior e ia dormir em uma casa de uma amiga da minha amiga. Ela escreveu a estação para a qual tinha de ir e desenhou um mapa. Cheguei na estação e não sabia comprar o bilhete do metrô. Procurei alguém que falasse inglês e não achei, um carinha tentou me ajudar e comprei um bilhete (que depois descobri que era o errado). Eles não conferem os bilhetes para você embarcar, mas tem uns fiscais que checam. Por sorte, naquele horário, ninguém checou o meu, talvez porque estivesse muito lotado. Segui o mapinha e milagrosamente cheguei na casa, porque sou uma pessoa completamente perdida. Expliquei o que aconteceu e foi aí que descobre que tinha comprado o bilhete errado e aprendi a comprar o certo. Na manhã seguinte, milagrosamente acertei o caminho de volta e fui para Madrid.

Em Madrid, minha amiga foi me encontrar no aeroporto, então, não tive nenhum perrengue, tirando o fato de ter ficado doente por causa dos pés molhados em Londres, mas por sorte não foi nada que estragasse a viagem.

E essas foram, resumidamente, minhas aventuras do primeiro mochilão. Tive sorte de conhecer pessoas nos destinos para os quais fui e isso evitou que eu passasse mais perrengues além desses do aeroporto por pura falta de experiência. Hoje em dia, tudo teria sido mais fácil com google maps e tal. Mas eu deveria ter pesquisado melhor como fazer para comprar passagem de trem na Alemanha ou ter olhado meu portão de embarque na tela em Londres, o que é uma coisa básica, só que eu era uma viajante inexperiente e nem pensei nisso.

No final deu tudo certo e meu primeiro mochilão foi um sucesso!

Quer contar a sua experiência também? É só me mandar uma mensagem 😉

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: